Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

terça-feira, 27 de abril de 2010

Matemática & Arte

Assistindo um vídeo contendo imagens recentes da superície do sol, postado por Gersier no Luis Nassif lembrei-me de fractais isso matemática arte "magnetosphere fractals fractal trentemoller music abstract abstrait art deviant fractales style musique waves vagues"

http://www.youtube.com/watch?v=vb4OrqPBQyA&feature=related

O mito da imparcialidade da imprensa brasileira
A mídia esconde sua partidarização, diz especialista. Considerada mito sob os olhares mais críticos, a imparcialidade nos meios de comunicação sempre foi objeto de discussões infindáveis, sobretudo, do lado de dentro dos muros acadêmicos. Em tempos de corrida eleitoral, a questão, polêmica por excelência, volta a monopolizar os debates. Estaria a grande imprensa se portando de maneira equilibrada em relação aos candidatos, principalmente, no que diz respeito aos postulantes à cobiçada vaga de “comandante-mor” da nação?
Na análise do sociólogo e jornalista Laurindo Leal Filho, professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP), a resposta é não. “A diferença entre quase todos os meios de comunicação do Brasil e os do exterior é que, no exterior, eles assumem, publicamente, o candidato ou o partido que estão apoiando”, afirma.
Categórico, ele diz que a mídia brasileira esconde sua posição política.”É praticamente impossível a isenção total”, dispara. Leal defende que a mesma postura adotada por outros países seja incorporada pelos veículos impressos daqui, para evitar que gatos e lebres sejam colocados em um balaio comum.

“É o caminho mais honesto. Do contrário, você acaba enganando o leitor com a suposta imparcialidade que, na verdade, não existe.”

Veja abaixo a entrevista:
Aqui o artigo na íntegra
Meu comentário

Assim fica bem fácil para a latifúndio da mídia ter controle absoluto sobre a senzala. É que os brasileiros, a partir do momento em que pensam ser neutra a imprensa, fica mais fácil para os escravocratas. Pois o (e)leitorado acreditará que a a mídia não tendo um lado, poderá nela acreditar, bem como nas suas pesquisas de opinião pública. Uma beleza para o barontato da mídia. Como dizem, do jeito que o diabo gosta.

Nenhum comentário: